A liderança da ClearSale sempre promoveu uma cultura de liberdade e confiança para  oferecer, sempre, o melhor produto do mercado, ainda que essa constante busca pela vanguarda e excelência exija muitos erros e experimentações. A empresa tem uma história de empreendedorismo, de prazer em realizar junto com os clientes e de constante geração de confiança, começando dentro de casa, com um time altamente de ponta, analítico e unido em suas crenças para gerar soluções inteligentes. Com crescimento contínuo e sustentável, a ClearSale investe em estruturação organizacional, reposicionamento de ofertas e novas avenidas para levar a empresa a um futuro ainda mais próspero e inovador.

Parte relevante dessa história, sócio da ClearSale desde 2008 e CEO desde 2018, Bernardo Lustosa, recentemente foi reconhecido pela World Biz Magazine Annual CEO Awards como um dos 100 melhores CEOs em inovação de 2022, único brasileiro da lista que contou com a presença de mais de 40 mil executivos ao redor do mundo. Ainda em 2022, figurou também na lista dos 100 Super CEOs do Brasil, pela Distrito.

“Quando os reconhecimentos e prêmios são recebidos, todo o meu orgulho vem da cultura e do time que conseguimos construir na ClearSale”, ressalta Bernardo, que, segundo ele, sempre gostou, também, de colocar a mão na massa nos produtos desenvolvidos. Estatístico, mestre em Economia e Doutor em Administração de Empresas, diz que aprendeu a liderar na prática, com a experiência da ClearSale e algumas experiências negativas que observou em grandes corporações. Com forte histórico em IA e Analytics, tem a empatia com as pessoas e talentos que movem a empresa. “Eu acredito que 90% das pessoas são naturalmente criativas e motivadas, muitas vezes tudo o que a empresa tem que fazer é não desligar isso das pessoas”, diz o executivo.

Em 2005, a empresa construiu uma plataforma SaaS de prevenção a fraudes para os e-commerces se protegerem do uso de cartões de crédito de terceiros. A inteligência desenvolvida cruzava informações dos clientes e fazia valer o efeito de rede de seus históricos. Em 2008, quando Bernardo ingressou com dedicação integral à ClearSale, passou a ajudar o fundador Pedro Chiamulera na gestão e a promover mais inovação. Como exemplo, neste mesmo ano, a empresa foi pioneira no mundo na terceirização completa da prevenção de fraudes, hoje adotada pelos seus principais concorrentes globais. Na época, o próprio Bernardo fez o primeiro algoritmo de inteligência artificial anti-fraude da empresa. Atualmente, a empresa conta com centenas de profissionais de Analytics, Tecnologia, Produtos, etc. Tendo saído do zero, a ClearSale orgulha-se de crescer todos os anos consecutivamente desde 2007, praticamente com a própria geração de caixa.

Numa história de inovação, a ClearSale assumiu a gestão completa de risco, sendo pioneira global também no ressarcimento de 100% das fraudes. Devido ao seu histórico, a empresa teve, então, que resolver todas as crises de fraudes históricas do mercado digital e isso gerou uma espiral de aprendizado, crescimento e inovação. Expandiu a solução anti-fraude para concessão de crédito, telecomunicações e onboardings em bancos digitais, internacionalizou-se e utilizou seu conhecimento único do consumidor digital brasileiro – a empresa processa mais de 120 milhões de transações digitais mensalmente – para crescer acelerada também em decisão de crédito. Outros segmentos também são incubados em paralelo em uma área de Open Innovation da empresa.

Em 2018, a ClearSale atravessou uma crise financeira no momento em que Bernardo assumiu como CEO. Com estratégias sólidas, auxiliou na reversão  de um EBITDA projetado de R$15 milhões para uma entrega de R$41 milhões, num plano iniciado em maio. Deste ano até 2021, quando a ClearSale abriu o capital com sucesso na B3, houve um  salto financeiro de 168 para R$451 milhões de receita, um CAGR de 31%.

No contexto atual, como empresa listada, a ClearSale executa uma estruturação para lidar com um dia a dia mais complexo. Recentemente, na divulgação de resultados do terceiro trimestre de 2022, foi anunciado o início de uma transição. O então COO da empresa, Eduardo Mônaco, tornou-se presidente e, junto de Alexandre Mafra, CFO, serão os dois executivos ligados a Bernardo, que segue CEO com mais tempo para se dedicar à estratégia de futuro e inovação da ClearSale. “Uma das funções do líder é formar a sua própria sucessão e traduzir isso em novas avenidas de crescimento”, enfatiza o CEO.

Enquanto isso, a empresa se reposiciona e organiza seus diferenciais. O trabalho realizado em produtos e tecnologia nos últimos anos trouxe um salto de capacidade, organização e escalabilidade. A ClearSale inicia 2023 focada em três pilares: especialistas em risco, que sabem como resolver o problema dos clientes; componentes tecnológicos oriundos deste conhecimento e ofertas combinadas de componentes para resolverem qualquer desafio da esteira de transações e concessão de crédito.

Como exemplo, Bernardo cita a fraude de laranjas, grande preocupação atual do mercado. “Nós resolvemos o problema e sabemos quais componentes devem ser usados para isso. Não existe bala de prata em soluções de fraude. Um laranja passa pela biometria, mas diversas outras camadas podem alertar para o risco de fraude e somente a ClearSale tem os ingredientes para resolver isso!”.

A ClearSale vai para 2023 com mais de 20 componentes e soluções tecnológicas comprovados para resolver, de forma combinada, as dores latentes do mercado. Junto a isso, todo o conhecimento de especialistas no tema. “Temos que utilizar o mínimo possível de camadas e componentes para cada transação. Assim, o consumidor terá uma experiência segura e, principalmente, sem fricção”.

A liderança da empresa segue apostando na cultura e nas pessoas. Bernardo, inclusive, fez questão de ressaltar uma frase dita na abertura de capital da B3: “O que nós mais queremos com a mudança ao sermos listados é que nada mude. Ao manter a essência e o foco de sustentabilidade, a ClearSale estará no caminho de crescimento.”

Bernardo Lustosa (foto acima) é sócio da ClearSale desde 2008 e CEO desde 2018.